(82) 993643802

NO AR

NAS ONDAS DO BREGA

Com Jorsinaldo Doze

Alagoas

2019: mais de 5 mil unidades de drogas sintéticas foram apreendidas em Alagoas

Publicada em 25/01/20 às 20:39h - 12 visualizações

por São Luis Web Alagoas


Compartilhe
   

Link da Notícia:

 (Foto: São Luis Web Alagoas)

O uso de drogas está cada vez maior, principalmente, entre os jovens no Brasil. O surgimento de novas drogas têm motivado ainda mais o consumo de parte desse público. As drogas sintéticas surgiram nos anos 80 e até hoje são consideradas de uso recreativo, ou seja, o uso costuma ocorrer em festas. Em Alagoas, somente no ano passado, 5.331 unidades da droga foi apreendida. As principais substâncias comercializadas no estado são LSD e Ecstasy, conhecidas também, como "bala" e "doce", respectivamente.

As drogas sintéticas são substâncias ou misturas criadas em laboratório com o objetivo de promover efeitos semelhantes aos das drogas obtidas naturalmente, ou seja, afetar diretamente as ações do sistema nervoso. Os componentes das drogas sintéticas não são encontrados na natureza. As principais são 3,4-metilenodioximetanfetamina (MDMA) conhecida popularmente como ecstasy, LSD, PMA ou parametoxianfetamina, entre outras.O delegado Gustavo Henrique, titular da Delegacia de Narcotráfico (DENARC), afirmou que o trabalho da polícia no combate ao tráfico tem crescido no estado, mas que o principal problema enfrentado pela delegacia é o efetivo reduzido. "O combate é diuturno, sendo a grande maioria das operações deflagradas após minucioso trabalho de inteligência da Delegacia de Narcóticos (DNARC). Isso tem contribuído muito para o aumento de apreensões e prisões e, consequentemente, o combate ao tráfico de drogas. Atualmente, o principal problema é o efetivo que é reduzido, aquém da necessidades para atender a grande demanda de trabalho envolvendo o combate ao tráfico", disse.

Segundo ele, por ser considerada uma droga cara, geralmente, os usuários são jovens de classe média e alta, que usam o entorpecente, especialmente, nas conhecidas festas do tipo "rave". "Apesar de eu entender que de recreativo nada tem o consumo dessas drogas, fala-se assim, exatamente, pelo fato de serem utilizadas em festas e baladas.

Conforme o delegado, grandes centros urbanos das regiões Sul e Sudeste são os maiores fornecedores da droga em Alagoas. "Diferentemente da maconha, cocaína e crack que têm centros fornecedores bem definidos, as drogas sintéticas que aportam em Alagoas vêm de locais diversos, mas pode-se mencionar os grandes centros urbanos dos estados das regiões Sul e sudeste", explica.

Danos à saúde

De acordo com Dra. Julia Soeiro, médica pesquisadora e professora da PUC Campinas, o ecstasy e o LSD são substâncias que têm seu consumo aumentado no últimos anos e a estimativa de prevalência do uso chega perto de 1% da população brasileira. 

"O uso costuma acontecer em situações de festa e, por isso, é dito recreativo, porém não existe uso de substâncias isento de riscos - o recreativo já traz sérios riscos - e ele pode ser um uso abusivo. As pessoas tendem a aumentar a quantidade e ampliar as situações de consumo indo a mais festas, por exemplo".Ela diz que o uso abusivo pode causar dependência. "Existe chance de causar dependência por criarem tolerância - a mesma dose não fazer mais o mesmo efeito e, por isso, a pessoa usar uma dose maior-, principalmente as anfetaminas (classe do ecstasy), mas qualquer uso é bastante arriscado, porque elas promovem uma liberação maciça de neurotransmissores com ação estimulante e alterações sensitivas (ecstasy) e perturbadora (LSD). Além disso, existe o risco de hipertermia, desidratação, além de serem neurotóxicas e por isso a longo prazo podem trazer prejuízos cognitivos e desencadear ou exacerbar quadros psicóticos", pontua.

De acordo com o perito Thalmanny Goulart, os maiores riscos causados pelo uso da droga diz respeito a problemas cardíacos como parada cardíaca e Acidente Vascular Cerebral (AVC) 

"Essas drogas trazem risco fisiológicos. Da parte cardíaca, muitas delas são ditas simpatomiméticas, ou seja, drogas que imitam o sistema adrenérgico do corpo, o sistema que prepara o corpo para a luta e fuga. Imagine que a adrenalina é um neurotransmissor do sistema simpático, então, são drogas que imitam a ação da adrenalina. Isso traz uma repercussão também para o sistema cardiovascular e quem tem propensão a problemas cardíacos pode sofrer uma parada cardíaca. Tem também repercussão hepática, porque não há uma preocupação no processo de fabricação, ou seja, não é uma indústria regulada pelo Ministério da Saúde e secretarias de vigilância sanitária. É um processo clandestino e criminoso, muitas vezes feito fora do país. Não há uma preocupação no processo de produção e o princípio ativo traz essa preocupação hepática e renal", explica. 

"Em função dos riscos de parada cardíaca e AVC há o risco de morte, principalmente, pelo uso excessivo ou associado ao consumo de energéticos ou álcool para aumentar o efeito da droga".

O perito explica que cada estado e cada país tem um perfil na fabricação dessas drogas. "Hoje, temos a portaria nacional 344/98, que é regulada e atualizada trimestralmente pelas Resoluções de Diretoria Colegiada (RDC), e define as drogas prescritas por médicos para tratamento medicamentoso e as proscritas, com a classe das drogas sintéticas que se encaixam dentro de uma classe maior e que são proibidas de vendas no país".




ATENÇÃO:Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

Deixe seu comentário!

Nome
Email
Comentário


Insira os caracteres no campo abaixo:


Enquete
O que achou de nosso site??

 Show
 Bom
 Regular
 Ruim







.

LIGUE E PARTICIPE

(82) 988708827

Visitas: 138574
Usuários Online: 12
Copyright (c) 2020 - São Luis Web Alagoas